Páginas

Que Sta Sara abençoe nossos caminhos!

domingo, 22 de março de 2015

Sobre a nossa prática na Cartomancia

Olá amigos!

Hoje gostaria de partilhar com vocês algumas idéias. Não tenho a intenção de estar “certa e nem de ser a dona da verdade”, mas as vezes é necessário alguma ponderação sobre temas ligados ao nosso trabalho.

Tenho muito respeito por todos os meus amigos e colegas da Cartomancia, tanto do Brasil quanto os de outros países. Esse respeito foi e será a base de tudo que escrevo, e associado a isso sigo um lema de vida, no qual acredito que cada pessoa tem por direito ser como deseja ser, e a mim cabe o dever de ser uma pessoa melhor em todos os aspectos. Lição aprendida pelas palavras do Chico Xavier e que me cabe bem todos os dias.

venetsianov_fortunetelling

(Imagem:  Alexei Venetsianov)

Quando começamos o Blog Tzara da Estrela não tínhamos pretensão de servir como modelo, escola de cartomancia ou algo que o equivalha. Sequer posso dizer que segui alguém ou me baseei em algum cartomante para dar inicio aos posts, eu mesma fui aprendiz de uma Cigana.

Na época em que conheci o Baralho Lenormand ele se chamava aqui no Brasil genéricamente como “Baralho Cigano”. Se você chegasse em uma loja para comprar um baralho e pedisse um Baralho Cigano, estaria sujeito a receber um Baralho Lenormand (Escola Européia) ou um Baralho Cigano (Escola brasileira) dependendo do que estivesse disponível. Muitas vezes a escolha se definia pelo preço sensivelmente diferente entre o importado e o nacional. Meu primeiro baralho foi um Blue Owl com o qual me identifiquei desde o inicio, embora tenha adquirido um baralho nacional muito bonito.

Nesta época também não era comum os sites e blogs oferecerem material rico e detalhado sobre os significados das cartas Lenormand!

Quando comecei a ler as Cartas recebi informações que misturavam os dois estilos de leitura, sem que isso fosse dito, mencionado, etc, porque de fato esse debate só começaria depois.

Acho desnecessário tantos pudores para algo que começa recentemente a ser debatido. Até tão pouco tempo atrás era comum a autoria do Baralho ser equivocadamente atribuida a Sra. Lenormand.

Sobre ser um Baralho Cigano bastaria ver as pinturas da época para ver que Ciganos não usavam esse baralho, pelo contrário usavam o baralho de cartas de jogar, mas Cigano sem dúvida o Lenormand é pois viaja livre arastando uma Caravana de admiradores, despertando paixões por onde passa.

Um aceno de novidades vindas recentemente gerou um afã, não pelo conhecimento, aprimoramento, mas pela necessidade de ter “razão”. No meu entender ambas as escolas são excelentes como meio oracular, e são irmãs, próximas, mais próximas do que isso seria o dia que tivessemos um baralho unico ou uma nova vertente de interpretações.

Se a criatura se afiniza mais com um caminho que com o outro que o faça ou se acha pertinente mixar visões que o faça. Faça de modo seguro e firme, de modo que sua leitura reflita seu modo de ver o simbolo.

Quando iniciei a escrever muitos dos posts precisaram ser adaptados para caber dentro do possível nos dois estilos de leitura, pois escrevia para todos e dependendo do Arcano o significado era um pouco ou muito diferente.Nunca pretendi que meu Blog tivesse uma sistemática pedagógica, mas sei que foi e é fonte de pesquisa para muitos que iniciam seus estudos e depois alçam vôos mais longos e altos.

Nunca verifiquei que isso causasse um problema nas interpretações dos jogos e neste Blog todos os estilos foram sempre bem vindos e respeitados. Creio  que esse acolhimento deu base para muitas trocas e comentários de leitores ávidos em aprender o melhorar seu estilo de leitura.

Sempre escrevi visando ampliar os conteúdos simbólicos de cada carta, isso é herança de uma base profissional que tenho como Psicóloga Clínica com muitos anos de consultório, lidando com pessoas, sentimentos e crises existenciais. Compreender os símbolos é uma prática natural para quem atende em psicoterapia, viajar nos universos pessoais e simbólicos é comum.

Apliquei aqui no Blog, nos textos, o que sempre fiz na pratica do meu trabalho, que é naturalmente acolhedor de diversidades e visa a integração das idéias e das pessoas.

Como a Cartomancia envolve uma relação estreita entre duas personalidades que caminham pela ponte simbólica (as cartas) julgo que deveria estar sujeita a algumas regras básicas de relacionamento entre seus pares, tanto no atendimento com as cartas, quanto na relação com os colegas de profissão, para isso temos a Ética como balizadora das trocas humanas.

Respeito, educação, bom senso, são o principio de tudo, especialmente se desejamos nos deparar com o universo de outras pessoas, se temos tanto para trocar como aprendizado e construção de um campo do saber ainda em desenvolvimento seja ele a Cartomancia.

Por mais que alguém conheça de Cartomancia, estilos , escolas , técnicas, métodos, textos remotos, ou mesmo a erudição das pesquisas sobre o tema, me parece que o desafio maior ainda é de ordem primária: saber se comunicar com equilíbrio e respeito, compreendendo que existem limites para o que se pode dizer , especialmente se o que for dito fere a dignidade de alguém ou de algum saber.

O debate nos ajuda a crescer, as trocas favorecem  e desafiam a inteligência, e tudo é bem vindo quando colocado de forma educada e respeitosa. Ainda me lembro bem do meu pai dizendo “o papel aceita tudo, mas depois de escrito não há como voltar atrás!”.

Para favorecer esse debate nossa amiga Tânia Durão tem realizado encontros anuais onde a conversa é livre entre as pessoas, num clima muito positivo de parcerias entre colegas que trabalham e escrevem sobre a Cartomancia. Nosso amigo Emanuel J Santos costuma fazer Blogagens coletivas no seu Blog  e dará inicio em breve a um novo ciclo de Blogagens coletivas sobre assuntos que irão acrescentar muito sobre temas de nosso interesse.

Tanto a Escola Européia de Cartomancia quanto a Escola Brasileira na pessoa de sua idealizadora Katja Bastos ocupam lugar de importancia no cenário de nossas práticas, e o que define a importancia e eficiência de suas leituras não é a escola por si, mas a capacidade de ultrapassar o conhecimento lógico (Teórico e técnico) e fazer um atendimento de qualidade ao consulente que nos procura.

O que define isso? Conhecimento puro e simples? Domino de métodos (centenas deles) ? Para mim é mais que isso! Cada pessoa associa tudo isso ao sua ferramenta principal que é sua própria pessoa, seu feeling, intuição, sensibilidade, empatia, e porque não de seu canal espiritual ou mediunidade.

E só para deixar claro, quando falo em intuição e mediunidade , não estou falando de pessoas incorparadas por entidades dando consultas. Falo de uma coisa natural que flui em qualquer relação onde o sutil , o energético e o espiritual possam se fazer presentes através de insigths.

Não sei até onde podemos ir nos estudos e pesquisas dentro da Cartomancia, mas não seria demais desejar um purismo, uma visão quase pseudo cientifica de uma prática antiga, que tem sua beleza justamente por ser simples e acessível a todos? O que dizer de alguns Cartomantes excelentes que tive a chance de conhecer e não sabiam sequer assinar seus nomes, mas tinham uma leitura afiada.

Para concluir e ajustar os passos desta semana aproveito para elucidar algumas questões sobre o Baralho de D. Maria Mulambo, que como muitos sabem foi desenvolvido por mim após dois anos de busca interna tentando entender um chamado interior para que um baralho fosse feito.

Para mim seria mais confortável publicar um baralho que é do meu domínio, mas fiz o que me foi pedido pela espiritualidade e sai da zona de conforto e expus meu nome e trabalho para ser alvo de críticas e julgamento, pois a entidade “Pombogira, Bombogira ou Pomba Gira , como queiram” não é  ainda bem compreendida pelo público em geral, sendo alvo de preconceitos e comentários desprovidos de bom senso e conteúdo.

Mas isso não me importa, sinceramente acho que cabe a cada pessoa eleger aquilo que fará de sua vida algo de valor. Há quem cresça escalando as montanhas e superando as adversidades, há quem prefira sobrepor-se aos demais . Cada pessoa demonstra com atitudes aquilo que vai no seu interior e quanto a isso não ficam dúvidas pois cada um é o que é.

No mais, apenas esclarecendo um único ponto que me surpreende toda vez que me deparo com isso:

Pombogira não é prostituta, não vende seu corpo para trabalhar, sequer tem um corpo pois vive no astral e SEMPRE age esgotando as energias que precisam ser trabalhas sejam nos seus médiuns ou naqueles que a buscam ou mesmo a mencionam para o bem ou para o mal.

Muitas vezes aquele excesso visto na figura da Pombogira nada mais é que o reflexo de sua própria pessoa, neste caso cabe 100% a afirmação: Pombogira é espelho, reflete o que vai no fundo do fundo, que vive ai em você!

No mais quero dizer que me sinto honrada em ter como companheiros de jornada  muitos  amigos cartomantes , pessoas que buscam o melhor do saber para ter o melhor para oferecer.

Encerro com uma frase que constará no livro de D. Mulambo:”Se levares a vida a sério demais, ela te levará mais a serio que tu pensas!”.

Obrigada pela sua atenção!

Sonia Boechat Salema

4 comentários:

  1. Perfeito! PG E Exu são seres que trabalham nas sombras para nos proteger das sombras, para mim é uma forma de amor pela humanidade. Eles dentro da hierarquia estão mais próximos do planeta terra, logo, que tratam diretamente com o comportamento humano de natureza mental, emocional, física e espiritual. Parabéns pelo trabalho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Luciene! Os Guardiões são Luz e retidão. Bjus

      Excluir
    2. Perfeito, Sonia!! Concordo plenamente com a visão dos exús e pombas - giras. Nossos amados guardiões. :)

      Excluir
    3. Perfeito, Sonia!! Concordo plenamente com a visão dos exús e pombas - giras. Nossos amados guardiões. :)

      Excluir

Seu comentário é importante para mim, mas nem sempre posso responder com rapidez.Agradeço sua participação e presença no Blog. Que Santa Sara seja a Luz e o Ouro em nossos caminhos!