Páginas

Que Sta Sara abençoe nossos caminhos!

terça-feira, 26 de dezembro de 2017

Reflexão com o Baralho das Almas 26/12/2017 - O Castigo e o perdão


Perdoe-se, liberte-se!
Somos humanos e vamos errar. Somos liderados pela emoção, pela ansiedade e nos precipitamos com atitudes e palavras que jamais deveriam acontecer. O pote se quebra, a água se derrama no chão e depois quem morre de sede somos nós pois agimos de forma intempestiva, cruel, passional, impaciente, irracional. Somos feras!

Perdoe-se, liberte-se!
Mas não seja condescendente demais com seus erros. Mude, faça melhor, busque sair dos hábitos e dos padrões de desamor. Nem tudo segue o curso que desejamos, temos de aceitar isso com humildade. Nem tudo podemos controlar, não vamos modificar ninguém além de nós mesmos. Aceite isso.

Perdoe-se, liberte-se! Feriu alguém?
Não adianta mergulhar num poço de culpas e desejar arruinar a própria vida por ter ferido alguém, especialmente os que amamos. Não faça isso, não adianta. A dor não se cura com mais dor. Somos prisioneiros da ignorância, quando não abrimos os olhos para luz, queremos dominar a vontade do outro sem a capacidade de ver com clareza. 

Ilumine-se para ver melhor, para amar com mais profundidade.

Perdoe-se, liberte-se! Siga adiante...
Deixe o passado ser passado e siga a vida com novos olhares, novas palavras, novas atitudes. Eu sei...tem coisas que custam a passar. Mágoas difíceis de curar, situações difíceis de perdoar. Somos humanos e sei como isso é difícil! Mas com amor vamos limpando as feridas dentro de nós, fora de nós.

Perdoe-se, liberte-se! A vida é muito breve...
A vida é um sopro. Tão rápida, tão fluida...não, não vale a pena castigar ninguém, nem castigar-se também. Aceite tudo da melhor forma que puder e não maltrate ninguém e nem maltrate a si mesmo. Estamos todos num processo curativo da Alma.

Eu me perdoo, eu me liberto, eu te perdoo, eu deixo você seguir livre...

Pelas horas difíceis que passamos, pelas lágrimas que já derramamos, pelos momento de aflição e opressão, pela dureza da vida, pela falta de clareza que nos fez agir de forma grosseira, cruel, indiferente a dor do próximo, eu peço as Almas Santas e Benditas, as sábias Almas que nos ilumine e nos conduza pelos caminhos do amor.

#adoreiasalmas #baralhodasalmas #tzaradaestrela 

Esse texto faz parte de um conjunto de reflexões sobre o Baralho das Almas. Se foi útil para você fique a vontade para compartilhar.
Gratidão!




2 comentários:

  1. Só existe liberdade quando o amor está presente. Sem ele a nossa existência se torna inócua, sem o objetivo proposto no programa da nossa reencarnação. Precisamos nos ater no mandamento nos deixado há de 2 seculos. AMAR O PRÓXIMO COMO A SI MESMO. E esse próximo somos nós.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que lindo minha amiga, é isso mesmo. O amor cura, cede, se expande e vai além livre de todo peso, pode nos redimir se for direcionado a nós próprios. BJus e feliz ano novo.

      Excluir

Seu comentário é importante para mim, mas nem sempre posso responder com rapidez.Agradeço sua participação e presença no Blog. Que Santa Sara seja a Luz e o Ouro em nossos caminhos!